Ascensão de um Deus

379 - Autômatos

Algum tempo depois, ele se deparou com uma porta, ela estava trancada, mas Le Chang não sabia a razão, sendo assim, ele analisou a porta por algum tempo, até que teve a ideia de usar a sua chave para abri-la.

Assim que ele retirou a chave de seu Anel, um "Clack" foi ouvido e a porta lentamente foi aberta.

Quando isso ocorreu, revelou a cena no interior.

O chão estava repleto de corpos.

Haviam, pelo menos, dez cadáveres no local, alguns de Anciões e outros de Competidores ligados a eles.

Esse grupo não teve tanta sorte e foi exterminado.

Le Chang olhou ao redor, seu corpo ainda estava em seu Modo Desperto, diferente de antes, ele agora conseguia se manter nessa forma por um longo tempo, sem desgastar tanto suas reservas de Energia.

Isso ocorria, porque Le Chang agora conseguia absorver completamente o Qi em um raio de dez milhas, ele era como um buraco negro sugando energia.

Não era nem preciso dizer que um de seus socos poderia pulverizar uma montanha e se fosse usado a totalidade de seu poder, ele poderia lutar de igual para igual com um dos Usuários das Armas do Poder.

No Planeta Plumas ao Vento, apenas Lau Mei, seu pai e mãe, eram mais fortes que Le Chang.

Porém, no momento, ele tinha outras preocupações, como os dez autômatos que surgiram assim que ele pisou dentro do salão.

Dois eram humanoides, um deles tinha dois longos chifres em sua cabeça e carregava um grande machado.

O outro tinha garras imensas e seu corpo era enorme, sua arma eram seus punhos.

Os outros oito, eram como Feras Mágicas.

Duas aves, três leões e um lobo.

Os humanoides foram os primeiros a chegar perto de Le Chang,

O ser com o machado o trouxe em um arco vertical em direção a cabeça de Le Chang, o qual apenas desviou para o lado e com uma velocidade explosiva acertou soco no abdômen do autômato, o jogando contra a parede mais rápido que o som.

Le Chang se moveu pelo espaço a tempo de desviar do ataque do outro humanoide que trouxe suas garras para separar ele em dois.

Porém, ao se mover pelo espaço, o lobo já havia chegado ali, sua mandíbula estava aberta e engoliria Le Chang inteiro, este último reagiu retirando a Espada Épica de Cinco Refinamentos e trouxe em um arco vertical de cima para baixo.

Ao fazer isso, a arma transpassou o crânio do lobo autômato.

Le Chang não se demorou e rapidamente se mesclou ao espaço, reaparecendo no lado do animal e rapidamente o cortou ao meio.

Nesse momento, uma das Aves já havia chegado e tentou perfurar o jovem com seu imenso bico.

Le Chang desviou para a esquerda e girou seu corpo, agarrando o bico dela e a girou três vezes até que a jogou em direção ao humanoide com o machado.

O encontro dos dois autômatos fez os dois atingirem a parede a uma velocidade explosiva.

Nesse momento, os três leões cercaram Le Chang.

Esse sabia que agora não seria uma boa saída se mesclar ao espaço, já que os autômatos, por mais primitivos que fossem, obviamente eram auxiliados pelas milhares de formações no local, as quais poderiam dizer com precisão onde Le Chang reapareceria.

"Certo… Vamos ver do que vocês são capazes…" Murmurou Le Chang, feliz por ter a chance de testar seus novos poderes.

O leão a sua direita se atirou contra ele, mais rápido que o som.

"Garra do Deus Dragão Lutador!"

Uma Garra imensa, feita da mais pura Energia Primal atingiu em cheio o leão em pleno ar, o pulverizando completamente.

Rapidamente os outros dois leões foram em direção a Le Chang, o qual abaixou seu corpo.

Assim que o leão a sua esquerda passou por cima dele, Le Chang jogou seu punho para o alto, acertando o abdômen da Fera, a qual foi jogada em direção ao teto do salão e acabou destruída.

Em um piscar de olhos, Le Chang reagiu pulando para cima, desviando do machado em um movimento horizontal que provavelmente o dividiria ao meio.

No entanto, em pleno ar, uma grande garra veio em direção ao seu peito, proveniente do outro autômato.

Le Chang colocou seus braços em um formato de 'x' a sua frente.

O impacto o atirou em direção ao solo como um meteoro.

As duas Aves responderam se precipitando, seu alvo era o peito do garoto.

Era como se duas flechas fossem atiradas por um grande arqueiro.

Le Chang permanecia com suas feições calmas e concisas, sem se desesperar e rapidamente tomou sua decisão.

Ele desviou para a esquerda, rolando no solo, isso fez com que uma das Aves tivesse seu bico preso ao solo.

Le Chang deu um soco para a direita, desviando o bico da segunda ave e a atirando para o lado.

Fazendo uso da falta de mobilidade da Fera próxima a ele, Le Chang cravou sua espada na cabeça do animal.

Porém, ainda restava uma ave, um leão e os dois humanoides.

Os quais, sem pestanejar, dispararam em direção a Le Chang.

Para sorte dele, eles não podiam fazer uso de Habilidades Marciais ou qualquer tipo de movimentação espacial, sendo assim, dependiam completamente da força de seus corpos.

A questão de controle dos autômatos era feita pelos círculos mágicos ao redor da sala, que liam com perfeição a situação no interior e enviavam os comandos para eles.

Era uma pena que destruir estas formações não era uma opção simples, afinal todo o local era repleto de círculos defensivos, ficou óbvio que as pessoas aqui foram destruídas porque tentaram fazer isso.

Era possível ver algumas formações destruídas, mas Le Chang não era tolo e rapidamente identificou uma grande quantidade de Formações de Ataque.

Ficou óbvio que este local era o primeiro teste do Castelo Espiritual e se alguém tentou roubar, usando sua força bruta contra o próprio castelo, ele seria destruído rapidamente.

*****************************

A velocidade com que Le Chang e o autômato com o machado trocavam golpes era surreal, tornando impossível ver as armas, apenas os vultos dos movimentos e os sons dos impactos.

Ao mesmo tempo que lutava contra este oponente, Le Chang ficava atento as investidas daquele com as garras, bem como as investidas da Ave.

Já o último leão rodeava Le Chang lentamente, como se tentando descobrir o momento exato para dar o bote no pescoço do jovem e o rasgar.

"…. Vocês são fortes.... Mas por mais incríveis que sejam, são apenas autômatos, regidos por uma lógica… Após um tempo, fica simples prever o padrão de ataque de vocês…" Murmurou Le Chang com um sorriso em seu rosto.

Ele então deixou o machado cair em direção ao seu peito, ele rapidamente trouxe a espada para aparar o golpe, mas o impacto o atirou longe.

A Ave e o leão responderam rapidamente, ambos dando seus botes.

Porém, assim que estava para rasgar Le Chang, este se mesclou ao espaço.

Assim que ele reapareceu, o ser humanoide com as garras o atacou sem pestanejar.

Todavia, Le Chang novamente se mesclou ao espaço, dessa vez ele reapareceu ao lado da ave e como fez com a outra, ele agarrou o bico da fera, mas desta vez a jogou com um dardo em direção ao ser com o machado.

Ele estava preparado para se defender do ataque de seres vivos, mas não de um de seus companheiros, sendo assim, sem reação, acabou tendo sua cabeça empalada pelo bico da fera.

Le Chang então estalou os dedos e um círculo mágico brilhou no bico da ave, causando uma explosão poderosa.

Aproveitando o caos do Qi no local, dificultando a análise dos círculos mágicos, Le Chang disparou em direção ao leão.

Apesar deste autômato ter grande força e uma velocidade razoável, Le Chang era dezenas de vezes mais rápido que ele.

Sendo assim, conseguiu entregar uma estocada com sua espada no local entre as sobrancelhas do animal.

Le Chang então abaixou, e viu a garra do último autômato de pé passando sobre sua cabeça.

Ele então girou sua cintura e trouxe seu punho esquerdo em direção ao abdômen do ser, o qual foi jogado como uma bala de canhão em direção a parede.

Le Chang disparou atrás do último autômato, agarrou seu braço e o girou em pleno ar, atirando para cima.

Le Chang tocou os pés no chão, esticou seu corpo verticalmente e com um impulso colossal, causando rachaduras no chão, ele foi para cima como um foguete saindo do planeta.

A Espada Épica em suas mãos empalou o crânio do último autômato, que ao ser destruído, se transformou em pó, deixando cair alguns objetos.

O mesmo ocorreu com os outros autômatos, mas nem todos deixaram algo para trás.

Le Chang então pegou em suas mãos uma corda comprida com, pelo menos, cinco metros de comprimento.

"Oh!… Nunca havia visto esse tipo de Arma Épica…" Disse Le Chang ao manusear a corda, que se mostrou versátil ao poder diminuir de tamanho e também expandir.

Le Chang então fez a corda se transformar em um pedaço bem pequeno e o colocou ao redor de seu pescoço, no qual ele pendurou seu Anel de Armazenamento.

Sendo assim, ele não se demorou mais e fez seu caminho para a saída do salão, mas antes ele incinerou os restos mortais daqueles que morreram no local.