Ascensão de um Deus

356 - Feng Long

As estátuas tinham dez metros de altura e seus corpos eram extremamente pesados, Le Chang deduziu que pela força comparável a alguém do Verdadeiro Humano do Dao Lendário, ele morreria se levasse dois ou três golpes.

Para sua sorte, apesar de o enorme poder, eles eram apenas autômatos, sem inteligência ou habilidades algumas, sendo assim, apenas movimentos simples eram feitos.

Todavia, não era algo para brincar.

Quem chegou primeiro a Le Chang foi o Lanceiro, ele deu uma estocada em direção a cabeça do jovem, o movimento foi tão rápido que cortou o espaço.

Le Chang estava esperando e desviou sua cabeça para a direita.

Ele então levou a mão até sua bochecha e viu que havia um fino corte, do qual escorria um fio de sangue.

Le Chang não pode se perder em devaneios, já que imediatamente o homem trouxe a lança para a si, mas na diagonal, tentando acertar a nuca dele com a lança.

Le Chang se abaixou e retirou a Arma Épica de Cinco Refinamentos, a qual era uma Espada de Dois Gumes, sua lâmina era feita de um metal acinzentado e seu cabo de uma rara madeira, incrustado na sua extremidade, havia um Cristal Mágico, pertencendo a uma Fera Mágica no Pico do Dao Lendário.

Era uma pena que com a força de Le Chang, era impossível para ele invocar a Fera, mas, apesar disso, a Arma em si era extremamente poderosa, se equiparando as Armas do Poder do Planeta Plumas ao Vento.

Assim que ele retirou a Espada, ele a trouxe em um arco vertical, de cima para baixo, jogando a lança do homem para cima.

Todavia, ele encontrou com grande resistência.

"Forte…" Murmurou Le Chang, a lança mal se moveu meio metro pelo impacto.

"BOOOOOOOOOOOOOOOMMMM!"

Le Chang desviou a tempo de ver um raio passando frente aos seus olhos.

Ele rapidamente viu ao longe, o homem com o cajado, mirando contra ele.

Seu cajado e suas mãos imensas, se moviam a grandes velocidades, conjurando o próximo ataque.

Enquanto isso, aquele com o escudo ficava a frente do conjurador, protegendo ele de qualquer ataque.

Já o Lanceiro e o Espadachim flanqueavam Le Chang, a procura de uma abertura.

Rapidamente, o homem conjurou uma imensa esfera de fogo, que rugiu em direção a Le Chang como um meteoro se aproxima do solo.

O lanceiro então trouxe a lança novamente em um arco vertical, mirando a cabeça dele, ao mesmo tempo, o Espadachim trouxe sua espada em uma estocada rápida.

Le Chang elevou sua força ao pico.

Sua percepção transcende os limites de seu cultivo.

Seus olhos revelaram as profundezas da sabedoria, seu peito brilhava com a Runa Angular sobre ele e sua pele era como a página branca de um livro que lentamente era escrita pelas Runas Douradas.

Ao fazer isso, sua velocidade explodiu e ele se deitou no chão, desviando dos ataques físicos.

'Cúpula Dourada das Cem Águas Santas!'

'Garra Dourada do Deus Dragão Lutador!'

'Movimento Draconiano: Mil Lâminas Yang!'

Com um pensamento uma esfera, como de ouro puro, o envolveu.

Com sua mão esquerda, ele conjurou a Garra Dourada e com sua mão direita movimentou a espada.

"BOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOM!"

A explosão foi colossal, mas assim que a comoção passou, Le Chang estava perto da parede.

Sangue escorria de seus lábios e suas roupas estavam em frangalhos, mas ele ainda estava vivo.

A Cúpula Dourada lentamente se despedaçava a sua volta, como vidro quebrado.

As estátuas não deram tempo para ele pensar e rapidamente correram até ele.

Le Chang então gritou, não com sua boca, mas com sua Alma.

"O Olho que Tudo Vê!"

Ao fim destas simples palavras, o espaço a frente dele pareceu congelar e o tempo se tornou algo sólido, estático.

Tudo ficou tão lento quanto uma lesma em uma superfície lisa.

Isso durou por dois segundos, antes da visão de Le Chang voltar ao normal.

Então, ele fechou seus olhos e abaixou seu corpo, nesse momento a lança passou cima de seu crânio, ele então girou agachado e trouxe a espada no joelho da estátua.

Ela se desequilibrou, então Le Chang rapidamente deu uma estocada, ainda agachado, em direção a cabeça do autômato.

Todavia, um imenso escudo apareceu na frente e uma espada desceu sobre sua cabeça, enquanto isso, um raio, como uma serpente viva, o flanqueava, visando destruí-lo completamente.

Um sorriso apareceu no rosto de Le Chang e ele rapidamente estalou seus dedos.

Ao fazer isso, ele se moveu pelo espaço e no lugar que ele estava, vários pedaços de jade surgiram.

Assim que os ataques colapsaram contra os jades, uma explosão colossal apareceu.

Destruindo a estátua com a lança e rachando no meio o escudo do outro.

Já o espadachim perdeu um braço.

Le Chang não se demorou ao ver uma rara oportunidade e trouxe dezenas de Armas Santificadas.

As controlando através de seu Sentido Divino, ele as jogou em direção ao Conjurador, este rapidamente fez alguns movimentos e conjurou centenas de esferas de fogo.

O impacto fez as armas derreterem e se transformarem em nada.

Todavia, foi apenas uma distração, já que Le Chang conseguiu com êxito transpassar a cabeça do Escudeiro.

O espadachim reagiu e trouxe seu punho em direção a cabeça de Le Chang, mas este desviou para trás e fazendo um arco vertical com sua espada, decepou a mão do autômato.

Ele trouxe sua mão esquerda, ignorando a mão cortada, em direção ao peito do garoto.

Le Chang então se moveu pelo espaço.

Mas sua espada não estava com ele.

Então, instantaneamente, ela atravessou a cabeça da estátua.

Le Chang havia enviado sua própria arma pelo espaço, fazendo ela reaparecer na nuca do autômato, o destruindo.

Ele então desviou a tempo, senão seria eletrocutado e depois vaporizado pelos raios e chamas do ataque do conjurador.

Todavia, sem o seu escudeiro, o homem estava vulnerável, Le Chang então chamou a espada de volta para sua mão, usando o seu Sentido Divino, e da mesma maneira a atirou em direção a testa da última estátua.

A destruindo completamente.

Assim que as quatro caíram em batalha, Le Chang então foi até o caixão, nele haviam complexas formações, as quais ele demorou mais uma hora para descobrir como passar por elas, todavia, ele só as conseguiu ver após elevar seus poderes oculares ao pico.

Então, assim que obteve êxito, ele lentamente removeu a tampa do caixão, fazendo ele se deparar com um senhor de idade.

Sentado em posição de lótus, seus últimos minutos de vida foram nessa posição.

No pescoço do homem, havia um cordão, no qual tinha um pequeno anel de armazenamento, delicado, mas era visível o grande poder espacial dentro dele.

Le Chang olhou ao redor, na busca de alguma armadilha.

"Não tem mais nenhuma armadilha…" Uma voz soou atrás de Le Chang, que se virou abruptamente trazendo sua arma em um arco horizontal.

"Ei… Ei… Calma…"

Le Chang se virou e rapidamente viu o idoso de mais cedo, flutuando alguns centímetros no ar.

Seu corpo era semitransparente.

"Quem é você?" - Le Chang.

"Eu sou ele…" Disse ele apontando para o cadáver, que apesar dos vários anos passados, estava conservado perfeitamente.

Se ali não fosse claramente uma tumba, Le Chang desconfiaria que o homem apenas cultivava profundamente.

"Eu sou Feng Long… O Primeiro Presidente da Associação de Alquimistas, o único Presidente a atingir o Sexto Trono do Dao do Santo Rei…." - Feng Long.

"Eu sou Le Chang… Bom, só isso mesmo…" - Le Chang.

O homem então olhou em volta.

"Você realmente é forte… Sua sorte era que após os milhares de anos, meus autômatos estão muito enfraquecidos… Apesar da força imensa de seus corpos, a inteligência e velocidade de reação são precárias…. Tanto que você, um Cultivador no 3º Grau do Dao do Esclarecimento, conseguiu matá-los com alguma facilidade…" - Feng Long.

Le Chang observou o idoso lentamente.

"Você é uma Semente da Alma, não é mesmo?" - Le Chang.

"Oh!… Você conhece esse termo?" - Feng Long.

"En!… Um cultivador ao queimar o âmago de sua vida, pode criar uma Semente da Alma, algo que permaneceria por um bom tempo vagando no Plano Espiritual…. Acredito que quem protege o território da Associação em segredo é você, não é mesmo?" - Le Chang.

"Você está certo… Mil anos antes da minha morte, eu comecei a desenhar os mais complexos círculos mágicos que eu conhecia. Eles eram extremamente poderosos e me permitiam controlar todo o território a partir do Plano Espiritual… Eu demorei quinhentos anos para fazer isso, e por outros quatrocentos eu fiz outros preparativos…. Então, quando me restavam cem anos de vida, eu criei minha Semente da Alma…" - Feng Long.

"E quanto tempo faz isso?" - Le Chang.

"Cem Mil Anos…" - Feng Long.

Le Chang olhou para ele novamente, entendendo o que ocorria.

"Sim… Estou chegando ao fim de minha existência…" Feng Long elevou seus olhos para o teto, como se mesmo abaixo da terra pudesse ver as vastas estrelas.

"Me resta apenas um ano de vida… Fico feliz que tenha conseguido ver alguém em meus últimos momentos…" - Feng Long.

"Não tem nenhuma maneira de você viver mais tempo?" - Le Chang.

"Impossível… A criação da Semente da Alma é um contrato com a própria Existência, não existe poder que possa reverter isso… Mesmo os Deuses se curvam diante dela…" - Feng Long.

Le Chang se sentiu um pouco abatido.

"Não fique assim… Eu já vivi tempo suficiente, vi vários reinados, gênios e guerras. Vi a tristeza, mas a felicidade sempre brotava entre o lamaçal da vida…. Agora, chegando finalmente em meus últimos momentos, fico feliz pela decisão tomada. Sinto como se tivesse feito o meu melhor pela Associação…. Em minha juventude eu sempre foquei em mim mesmo e em acumular conhecimento sobre Alquimia e Formações e isso gerou meu único arrependimento… Gostaria de ter deixado filhos e netos para assumirem o meu lugar, mas não me importei com isso em vida…" Feng Long desabafava.

Le Chang apenas ouvia e não dizia nada.

"Garoto… Você não é o primeiro a vir aqui, anteriormente este local era cheio de tesouros e armas, mas foi levada pelos Presidentes que me sucederam… O atual presidente, saqueou o restante do que havia aqui…" - Feng Long.

"Mas e os autômatos?" - Le Chang.

"Eles não podiam sequer aguentar um movimento das mãos de alguém no Dao Santo ou acima… Além disso, em alguns dias eles se recuperarão e voltaram para os seus lugares…" - Feng Long.

"Entendo…" - Le Chang.

"Bom, há uma coisa…" Disse o idoso apontando para o anel no cordão ao redor de seu pescoço.

"Os antigos presidentes nunca tiveram coragem de mexer em meu túmulo… Eu fui conhecido com o mais poderoso Mestre em Formações dessa galáxia, sendo assim, eles temiam que eu tivesse colocado armadilhas… Porém, além de ser um desafio abrir a tampa, não havia nada que pudesse infligir dano… Como você conseguiu…. É seu…" Feng Long moveu sua mão e o anel disparou do cordão, pairando na frente de Le Chang.

Este rapidamente pegou o objeto e enviou sua consciência para dentro.




O site Central de Mangás é gratuito e sempre será!

Para colaborar com a existencia do site, por favor,
desative o bloqueador de anúncios.