Ascensão de um Deus

342 - Complicações!

Guan Long acariciava os cabelos de sua neta, seu rosto estava cheio de amor e carinho.

Le Chang estava próximo a ele, observando tudo o que acontecia, então, o senhor se virou para ele e começou a falar.

"Só sobramos eu e ela… Há um ano, eu sai em uma viagem para outra Dimensão, buscando novas técnicas de Alquimia e ingredientes, então, um mês após minha saída, Demônios invadiram e dizimaram todo o meu Clã… Ele ficava em um planeta longínquo, conhecido por ser pacífico e focar no conhecimento e sabedoria… Todavia, todos foram mortos… Meu amado filho, minha esposa, minha nora, meus netos e netas, nem mesmo os animais não foram poupados…. Então, quando retornei, encontrei os corpos já se decompondo, em uma situação horrível…" - Guan Long.

Ele parou de falar e enxugou as lágrimas que escorriam, sua respiração era ofegante e seu olhar tinha traços de um profundo ódio.

"Então, quando pensei que era o fim de tudo, eu ouvi um choro abafado vindo da casa de meu filho… Quando fui lá, vi meu filho cortado ao meio, sobre o chão de sua casa, e ao seu lado haviam vários Demônios mortos, era óbvio que ele não morreu sem antes lutar bravamente… Minha nora também havia sido morta, seu crânio havia sido perfurado… Tive que me concentrar e tentar procurar a fonte do choro… Devido ao caos do Qi no local e da grande quantidade de Energia Yin e Aura Demoníaca, eu não pude identificar através do meu Sentido Divino, então retirei os corpos e percebi que havia um alçapão onde meu filho estava caído, ao abrir ele, vi minha neta pálida e já muito doente… Ela viveu comendo cereais e tomando um pouco de água…" - Guan Long.

A esse ponto ele soluçava e lágrimas escorriam por seu rosto e faziam seu caminho até as mãos de sua neta. Cada gota era como uma bomba caindo ao chão, seu punho estava fechado e suas unhas cravaram em suas palmas.

"Ela ficou assim por seis meses… Vivendo em um porão a base de água e cereais, com o sangue de seu pai e mãe pingando do teto… Uma Aura Demoníaca permeando todo o local, eu… alguém no Dao Santo me senti extremamente perturbado e fraco, imagine uma menininha de oito anos?" - Guan Long.

Le Chang realmente não poderia imaginar a dor que ela sofreu, ao ouvir isso, ele levou sua mente a morte de seu pai, ele já era um jovem e com um poder relevante, e, mesmo assim, ele sofreu horrores e se não fosse por sua mãe e suas noivas, ele teria sucumbido às trevas.

"Realmente… É algo bom que qualquer vestígio Demoníaco foi varrido de seu corpo… Todavia, devemos ter…" Le Chang não terminou sua frase, não antes de a menina começar a contorcer seu corpo e tremer.

Um risco de sangue saiu de seus lábios e manchou os lençóis.

Guan Long se apavorou e rapidamente viu toda sua esperança desmoronar.

Le Chang disparou e empurrou o senhor de idade que ficou ainda mais surpreso.

"Jure, que jamais contará para ninguém o que eu vou fazer…" A voz de Le Chang foi transmitida ao cerne da alma de Guan Long.

"O… O… O que?" - Guan Long.

"Jure! Faça um Juramento Celestial de que não vai contar o que verá a partir de agora! Faça!" - Le Chang.

"Eu… Juro, que eu Guan Long, jamais revelarei qualquer coisa que o jovem aqui presente fizer neste momento, se assim o fizer, que meu corpo queime eternamente e a dor seja minha única companheira pela eternidade!" Guan Long mordeu seu lábio inferior, pegou o sangue com seu dedo indicador e riscou sua testa, a qual brilhou e um selo se formou, o qual rapidamente foi absorvido por sua pele e ficou gravado no interior de seu crânio.

De fora não era possível ver o selo, mas na parte de dentro, próximo ao cérebro dele, as palavras que ele disse estavam escritas, com sua própria essência de vida.

Le Chang não pestanejou e entrou em seu Modo Desperto.

Os selos nas paredes explodiram de poder e tudo ficou completamente selado.

Guan Long deu um passo para trás e caiu ao tropeçar.

O poder que emanava do corpo de Le Chang era surreal, tão forte que fez o espaço desacelerar.

Ele então colocou sua mão na testa da menina e as convulsões cessaram. Le Chang rapidamente fechou seus olhos e se concentrou, e no instante seguinte, ao abrir seus olhos, ele já estava em outro local.

Le Chang agora estava dentro de uma casa, na sala mais especificamente.

Havia uma mesa de jantar, onde uma menina, um homem e uma mulher, ambos com aparências joviais, comiam e riam.

O homem acariciou os cabelos da pequena e disse.

"Eu te amo minha pequena Guan Bo…"

"Papai! Eu também te amo!" Disse a menina com a boca cheia de comida, o que fez tanto seu pai, como sua mãe, rirem animadamente.

Todavia, o momento de paz rapidamente foi quebrado.

Um sino ensurdecedor foi ouvido, a tez do homem e da mulher escureceu e ambos retiraram armas Épicas de seus anéis de armazenamento.

"Venha… Se esconda aqui…" O homem disse ao abrir um alçapão escondido e colocar a menina ali.

A mulher então foi até a garota que não entendia nada o que acontecia, segurou seu rosto e beijou a testa da pequena.

"Eu te amo minha filha… Que os deuses protejam você… Viva… Viva…" A mulher então empurrou a menina para baixo, fechou o alçapão e fez alguns selos com suas mãos, selando completamente a passagem.

"BOOOOOOOOOOMM!"

A porta de entrada explodiu e um imenso grupo de Demônios, criaturas horríveis e deformadas, seus dentes imensos eram nojentos e seus olhos amarelados e doentios, os deixavam com uma aparência sinistra.

A Aura ao redor de seus corpos era pútrida e pesada.

Eles cuspiram ao abrirem suas bocas em um sorriso macabro.

O homem não pestanejou e disparou contra o grupo, o qual ficou surpreso ao terem suas cabeças decepadas com apenas um movimento.

A mulher também fez a mesma coisa e matou uma boa parte deles.

Os dois dispararam para fora da casa e os demônios os seguiram.

Assim que saíram da residência, se depararam com o caos.

Casas incendiadas, pessoas sendo massacradas, demônios voavam para todos os lados e explosões colossais ocorriam. O céu estava negro e o cheiro da morte permeava o local.

Alguns poderosos no Pico do Dao Lendário faziam a frente e protegiam todos da aniquilação completa.

"Guan Long!! Cadê você?!!" Uma voz rouca e abafada, repleta de ódio explodiu por todos os lados, um demônio imenso apareceu logo em seguida, ele era do tamanho de uma montanha e seu corpo era sinistro.

Ele era um Demônio no Dao Santo, algo que ninguém ali poderia lidar.

O Demônio então trucidou milhares de pessoas apenas com sua Aura, os poucos que conseguiram resistir dispararam contra ele, tentando matá-lo, mas seus ataques nem penetravam sua grossa pele.

Rapidamente o número de pessoas diminuiu gradativamente, as Feras Mágicas usadas para proteção morreram como gado no abatedouro.

Após alguns minutos de ataque, apenas cinco pessoas sobraram.

Guan Kang, filho de Guan Long, sua mãe, sua esposa e dois Anciões do Clã.

Os demônios tiveram milhares de baixas, mas ainda eram menores quando comparadas as do Clã Guan.

"Cadê Guan Long?! Eu soube que havia alguém poderoso aqui, suficiente para me dar uma luta decente, mas só encontrei formigas…" O Demônio imenso rugia, rindo histericamente.

Quando ele viu que não receberia uma resposta, seu rosto ficou ainda mais sombrio.

"Cinco formigas no Pico do Verdadeiro Rei do Dao Lendário, acham que podem fazer algo contra mim?! Vermes!" Ele então trouxe um imenso machado, tão rápido que atorou imediatamente os dois Anciãos.

Os três que restaram tentaram revidar, mas foram jogados longe.

A mãe de Guan Kang disparou para o céu e gritou.

"Eu seguro ele, peguem Guan Bo e fujam daqui!!"

"Mãe!!" - Guan Kang.

"VÃO!!" Berrou a mulher.

Ele então, forçou seu corpo a virar e disparou para sua casa, mas antes de perceber, um imenso espinho, feito de osso, atravessou a cabeça de sua esposa.

Guan Kang pegou sua mulher, com um fio de vida, e disparou para sua residência, todavia, quando estava próximo a porta de sua residência, viu o corpo de sua mãe ser jogado contra o solo próximo a ele, completamente sem vida.

Esse pequeno momento de distração, foi suficiente para dois espinhos o atingirem suas costas, um perfurando sua coluna espinal e outro seu coração.

Ele fez um grande esforço para se arrastar.

Sua esposa estava quase morta e ele já não tinha mais forças quando ambos desabaram sobre o alçapão.

"Me desculpe…" - Guan Kang.

"N… Não… Não… foi su… sua… culpa…" Ela disse com o último olhar que poderia dar, então, fez alguns selos com suas mãos e Guan Kang rapidamente percebeu, ele fez o mesmo, e com suas próprias vidas fizeram um selo, tão poderoso que mesmo o Demônio no Dao Santo, não perceberia a presença de Guan Bo.

O avô da garota só a encontrou, porque o selo diminuiu sua força rapidamente, do contrário ela teria ficado por um bom tempo ali dentro, talvez décadas.

Enquanto isso, como um expectador, horrorizado, Le Chang observava a cena a sua frente, então, o Demônio virou sua cabeça na sua direção e sorriu, debochando de sua cara, mas ao fazer isso, a imagem tremulou, ao ver os olhos de Le Chang.

A paisagem então mudou.