Ascensão de um Deus

286 - Complicações

Autor: Calebe Piccoli Camargo | Revisor: Stromkirk

Era como um porão.

O local era relativamente pequeno, quadrado, com lados de dez metros.

No centro, havia uma jaula negra.

A qual estava pendurada no teto, com também dez metros de altura.

Entretanto, desses dez metros, dois eram tomados por sangue.

Era como uma grande piscina de sangue, era possível ver movimentos no líquido, como se alguma coisa estivesse viva ali dentro.

Era possível ver pedaços humanos e de Feras Mágicas boiando no local, Ervas Espirituais e outros objetos irreconhecíveis.

Na jaula, haviam três homens.

Eles claramente estava mais do que feridos.

Um deles tinha o braço esquerdo completamente dilacerado, uma de suas pernas estava pendurada por um pedaço de carne.

Outro homem não tinha seus dois olhos e a parte de baixo de sua mandíbula havia sido arrancada, deixando sua língua caída a mostra.

O terceiro, também não estava em boas condições, onde teve suas duas pernas arrancadas de seu tronco.

Seus dedos e mãos estavam torcidos em posições impossíveis, seu peito estava afundado.

Além disso, todos eles tinham pouca pele sobrando em seus corpos, afinal parecia que haviam sido passados em um ralador gigante, arrancando a pele de seus corpos.

A Jaula tinha centenas de Formações, claramente congelando o espaço ao redor da sala.

Também era possível ver que no teto e embaixo da jaula, havia líquidos caindo.

Pela parte de baixo, caia um líquido negro e gosmento, já no teto, havia um líquido verde caindo, entretanto, este último contrastava com o local desumano, afinal, este líquido era um misto de poderosas medicinas, que ao caírem sobre os corpos dos homens, lentamente os curava.

Entretanto, isso era tudo menos humano.

O líquido negro era a Essência de vida destes homens, a qual lentamente ia escorrendo para a piscina de sangue, se misturando as milhares de ervas e afins que estavam ali dentro.

Então, assim que Shao Fu apareceu, os homens estremeceram e lágrimas puderam serem vistas escorrendo de seus olhos.

“Malditos… Vocês são inúteis?!!!” Berrou Shao Fu ao ver os homens não estavam tentando se curar, absorvendo o líquido verde.

“Eu realmente não me importo de fazer mais uma sessão de tortura com vocês… Na realidade seria bom para me acalmar um pouco…” – Shao Fu.

Os homens estremeceram e rapidamente começaram a absorver as medicinas e tentar curar seus corpos.

“Muito bom… Muito bom… Sabe… É uma vergonha vocês usarem o nome Diabo em suas Seitas medíocres… Vocês não têm ideia do que é um Diabo de verdade… Tsc… Tsc… Meras formigas ousam se chamar de Patriarcas de uma Seita Diabo! Hahahahahahaha!!” – Shao Fu.

Estes homens, eram os três Patriarcas das outras Três Seitas Diabo do Continente Zao.

Shao Fu os havia chamado para uma reunião, antes de ter sido possuído, e o ser que o possuiu, fez uso desta reunião para conseguir subjugar estes homens, usando venenos e outros afins.

Então, Shao Fu, lentamente retirou suas vestes, revelando um corpo esquelético e doentio.

Ele então entrou na piscina de sangue e foi logo abaixo da jaula negra, abriu sua mandíbula, de uma forma que deveria ser impossível, e começou a engolir o líquido preto que escorria.

Rapidamente ele começou a cultivar e a piscina de sangue parecia e agitar e lentamente começou a diminuir.

Era possível ver o sangue do local adentrando corpo de Shao Fu através de seus poros de, boca, olhos, ouvidos e narinas.

Os Patriarcas na jaula estavam aterrorizados, onde mesmo se houvesse uma reencarnação eles ainda se lembrariam do que sofreram nesse local.

A tortura e as milhares de formações, fizeram com eles lentamente morressem, perdendo suas Energias Vitais, que ao se misturarem com uma grande quantidade de ervas, tornava possível absorvê-las.

O líquido verde era para prolongar ao máximo a vida dos homens e os fazer entregar ainda mais Energia Vital.

No fim, por mais doloroso e aterrorizante que isso fosse, ainda era melhor do que ser torturado por Shao Fu, sendo assim, os Patriarcas apenas aceitaram seus destinos, aceitando se tornarem uma fonte de poder para outro.

“Tsc… Bom, apesar desse Continente ser um lixo, se esses malditos ficarem vivos por tempo suficiente eu devo conseguir fazer este corpo ascender ao Dao do Esclarecimento… Então poderei varrer com todos nesse continente e usar a vida deles para elevar ainda mais meu cultivo…” – Shao Fu.

Ele então caiu na gargalhada, cuspindo um pouco de sangue no processo.

“Hahahahahaha!! Cof! Cof! Cof!… Corpo lixo… De qualquer forma, acredito que após absorver os bilhões e bilhões de vidas deste continente, eu facilmente chegue ao Dao Lendário… Sendo assim, poderei trocar de corpo, pegando um dos velhos deste planeta…. Fazendo com que eu possa retornar ao Reino Asura… Entretanto… Antes preciso matar esse garoto Le Chang… Afinal minha missão é o que tem dentro dele…” – Shao Fu.

*****************************************

Enquanto isso, no Supremo Continente Shiang.

“O que vocês estão pensando?!! Isso está um caos! Nossas terras estão sendo saqueadas, milhares de nossas ervas e minas foram roubadas…” – Lin Cai.

“Pai… Não conseguimos encontrar nenhum culpado… Assim que capturamos alguém eles simplesmente morrem…” – Lin Yang.

“Tsc… Incompetentes!!” – Lin Cai.

“Pai… Quem está nos atacando está fazendo uso de pessoas que deveriam ser mortas por diversos crimes… A maioria não passa do Dao da integração, com alguns milhares somente no Dao do Espírito…” – Lin Mei.

“E eu ligo para isso?! Tsc… Já tentaram buscar informações revirando as almas deles?” – Lin Cai.

“É esse o problema pai… A Alma deles é destruída assim que tentamos fazer algo… Quando ela é destruída, uma forte presença é sentida… Algo como um demônio!” – Lin Yang.

“Demônio?” Lin Cai ficou surpreso.

“Sim… Eu e Lin Yang estávamos presentes em um dos interrogatórios, mas assim que o interrogador tentou adentrar na alma do homem, o preso morreu e uma pressão insana foi sentida por todos…. Uma sede de sangue não humana e que também não pertencia a uma Fera Mágica…” – Lin Mei.

“Tsc…” – Lin Cai.

“O Senhor acha que tem algo a ver com o Clã Min e o Clã Zong?…” – Lin Yang.

“Acho difícil ser isso… Afinal como eles teriam um demônio com eles?” – Lin Mei.

Lin Yang deu de ombros, como se dissesse, que outra possibilidade eles tinham?

“Droga… De qualquer forma, dobre a guarda em todas nossas propriedades, quero pessoas no Dao da Purificação cuidando de tudo, levem tudo que puderem…. Não podemos perder mais nenhuma mina ou plantação…” – Lin Cai.

Lin Yang e Lin Mei rapidamente se misturaram ao espaço e foram resolver as coisas.

Lin Cai se moveu pelo espaço e apareceu em frente a piscina negra, no subsolo de sua casa.

“Demônio?… Aqui?… Será que as Supremas Seitas Diabo estão se movendo?… Não…. Não… Clã Min e Clã Zong?… Impossível…” Murmurava Lin Cai, afundando em diversos pensamentos e teorias.

Entretanto, ele mal sabia que não era só com ele que isto estava acontecendo.

O Clã Min e Zong também estavam sob ataque pesado, perdendo dezenas de negócios.

Uma nova loja de Armamentos e Artefato Mágicos foi criada na Cidade Plumas Celestiais, onde várias armas poderosas começaram a ser fabricadas.

Rivalizando com as Armas que Ca Le havia vendido para a Loja Min.

Lentamente, centenas de especialistas de Forja e Formações chegaram a Cidade Plumas Celestiais, fazendo com que uma grande concorrência fosse criada.

Um grande grupo de forjadores se uniu e deu vida a Loja da Forja do Soberano Desconhecido.

Outro grupo de Mestres em Matrizes, se juntou para criar a Loja do Soberano Revolto.

As duas vendiam artigos do mais alto nível, além disso, o preço não era exorbitante, como a Loja Min e as Lojas dos outros Clãs, sendo assim, sua clientela explodiu em poucas semanas.

Fazendo com que a balança do poder econômico pendesse, pela primeira vez em centenas de anos.




O site Central de Mangás é gratuito e sempre será!

Para colaborar com a existencia do site, por favor,
desative o bloqueador de anúncios.