Ascensão de um Deus

234 - Apareçam

Autor: Calebe Piccoli Camargo | Revisor: Stromkirk

Centenas de anos atrás.

Era um dia ensolarado, típico do verão. 

A brisa rodeava a grande construção, uma bela casa, como a água contorna as rochas no leito do rio.

No pátio, os finos galhos das árvores, dançavam harmoniosamente com as folhas, como cavalheiros conduzindo uma dama.

O canto dos pássaros ecoava pelo local, os cheiros das flores de um belo jardim preenchiam o ar, com um toque adocicado.

Tudo parecia se encaixar perfeitamente no belo som de uma cantoria, acompanhada por uma citara.

No centro do pátio, havia uma clareira, onde havia somente grama, livre das árvores e flores, mas era ali onde todos os cheiros, sons e a brisa, se encontravam, como se a voz da bela mulher, unida ao som melodioso de seu instrumento, coordenasse a própria natureza ao seu redor para lhe acompanhar em um belo espetáculo.

Esta mulher, tinha uma aparência de meia idade, mas seus olhos escondiam uma sabedoria milenar, um conhecimento único e uma percepção além da mundana.

Era como se diante dos olhos dela, todos os sentimentos humanos integrassem uma orquestra, se apresentando em perfeita harmonia.

Em seu olhar, havia uma pitada de curiosidade, uma de excitação, um pouco de compreensão, um sussurro da indiferença, um afago da paixão e um toque de amor.

O homem, sentado frente a frente com ela, tinha seus olhos fechados e apreciava a beleza do momento, sentindo não com seus sensores humanos e frágeis, mas sim com o seu coração.

Tudo ali remetia à paz de espírito e física, nada parecia poder perturbar a perfeição daquele momento, um pequeno pedaço do tempo de vida de Lin Cai, o qual ele relembraria pelo resto de sua vida, como o momento mais feliz, mas também o mais triste.

Fadado, pelo próprio destino, pela natureza maligna da própria humanidade, pelos planos de sua própria filha.

***********************************************

“Isso foi… Simplesmente maravilhoso, meu amor…” – Lin Cai.

“Você gostou? Que bom… Que bom…. Passei quase um ano para terminar essa composição…. Fico feliz que tenha gostado…” Disse a mulher.

“Como eu, Lin Cai, não gostaria de algo feito pela renomada Dong Xia, a Deusa da Citara, a minha amada esposa…” 

A mulher deixou um sorriso apaixonado e repleto de ternura, dançar em sua face enquanto seus olhos brilhavam observando seu amado.

Após uma troca de olhares, ambos se entregaram a um beijo, lento e demorado, seus corações, após alguns segundos, começaram a bater em harmonia, como se seus corpos fossem instrumentos tocados pelo amor mutuo.

E assim se passaram algumas horas, onde ambos se deixaram levar por seus impulsos, não animalescos e selvagens, mas sim pela pureza do carinho, pela profundidade do real sentimento de intimidade, pela tênue linha entre paixão e amor.

*********************************

Pela tarde, próxima as dezesseis horas, o sol estava enfraquecido e no horizonte era possível ver algumas nuvens negras, aproximando-se, anunciando a chegada de uma tempestade de verão.

Lin Cai, que estava sentado em uma varanda, tomando uma xícara de chá, com sua esposa, Dong Xia, observava o horizonte e por um instante, uma pequena aflição apareceu em sua mente, naquele momento ele não daria importância, mas futuramente, almejaria ele que pudesse retornar no tempo e avisar que tal intuição não era algo indiferente, mas sim aquilo que o definiria eternamente.

“Você está bem?” – Dong Xia.

“E… E… Eu estou…” – Lin Cai.

“Bom… Bom…” – Dong Xia. – “Ah!… Você chegou a falar com Lin Mei?… Achei ela estranha nos últimos dias…” 

“Como assim?…” – Lin Cai.

“Não sei… Ela parece estar preocupada nos últimos dias…” – Dong Xia.

“Hm… Bom, vou ver se ela precisa de algo…” – Lin Cai.

“Hahaha!” Riu Dong Xia.

“O que foi?” Lin Cai pareceu ficar sem entender.

“Você lembra, quando ela era pequena… Um dia ela queria tanto aprender um movimento de espada só para deixar você orgulhoso… Ela ficou semanas treinando escondida, seu rosto exalava determinação…” – Don Xiag.

“Lembro! Hahaha… Era um movimento bem difícil…. Me lembro que depois que aprendeu aquele movimento, nenhum dos instrutores conseguia vencer ela em uma luta sem usar Qi…” – Lin Cai.

“Hehehe!! Ela puxou a mim, sua incrível mãe…” Disse Dong Xia rindo.

“Hahahaha!! Certo…. Certo…” – Lin Cai.

“Não sente falta de quando ela era apenas uma menininha?…” – Dong Xia.

“Realmente… Ela mudou bastante, mas o Caminho Marcial faz isso com todos… Compaixão, gentileza, inocência e o apego, são queimados e viram cinzas conforme se avança no Caminho Marcial… Bom… Depende de cada um, não é mesmo?” Lin Cai sorriu amorosamente para sua amada.

“Você tem razão… tem razão…” – Dong Xia.

“Hm!… Não podemos nos atrasar…. Temos um evento para ir na Cidade Vento Leste… Somos convidados de honra…” – Lin Cai.

“Ixi… Verdade, bom… vou ir me arrumar, não esqueça de colocar a roupa que eu disse para você por…” – Dong Xia.

“Sim Senhora… Sim Senhora…” – Lin Cai.

Duas horas depois…

Na sala, estavam Lin Cai e Dong Xia.

Ambos estavam luxuosamente vestidos.

Dong Xia vestia um lindo vestido azul, seus olhos era cor de mel, seus cabelos eram pretos, permeados por alguns fios brancos, sua pele clara tinha algumas rugas, as quais não diminuíram sua beleza, mas lhe davam um toque de maturidade. Seu corpo não era voluptuoso, mas suas curvas eram belas e proporcionais, sua beleza era algo a ser lembrado, continentes lutariam por sua beleza.

Enquanto isso, Lin Cai vestia uma bela túnica comprida, nas costas havia o símbolo do Clã Lin, desenhado a fios de ouro e prata. A peça era vermelha e nas bordas das mangas e na parte abertura inferior, havia algumas runas, escritas com metais preciosos. 

Dong Xia, também usava um lindo colar, feito de diamantes, esmeraldas e rubis. 

Ambos formavam um belo casal, Lin Cai era um poderoso Supremo Senhor e suas palavras tinham peso por todo o Continente Shiang e até mesmo sobre o planeta.

Sua esposa estava firmada a Meio Passo do Verdadeiro Rei do Dao Lendário, sua figura era temida por muitos, a razão se dava por seu jeito diferente de lutar.

Ela usava sua cítara, em conjunto com sua voz, em um jogo de ilusões e ataques mentais, sua Energia Mental era extremamente pura e também enorme, com certeza ela não era uma adversária fácil de ser enfrentada. Além disso, sua terrível força e sua genialidade a faziam ser capaz de enfrentar dois oponentes de mesmo nível, sem se sobrecarregar. Algo digno de sua genialidade.

“Você está pronta?” – Lin Cai.

“Sim amor…” – Dong Xia.

Então, ele segurou a mão de sua esposa e ambos se misturaram ao espaço.

A Cidade Vento Leste, ficava bem longe da Cidade Plumas Celestiais, sendo assim, o tempo de viagem seria relativamente longo.

Todavia, meia hora depois, sobre um deserto sem vida, o espaço se sacudiu e Lin Cai, junto de Dong Xia, reapareceu.

Sua tez era escura e seu rosto transbordava de hostilidade.

“Apareçam!” Gritou ele.




O site Central de Mangás é gratuito e sempre será!

Para colaborar com a existencia do site, por favor,
desative o bloqueador de anúncios.