Ascensão de um Deus

227 - Le Chang VS Lin Kang

Autor: Calebe Piccoli Camargo | Revisor: Stromkirk

“Vencedor Número 20!!” – Lin Feng.

‘UAAAAAAAAAAAAA!!’

A multidão foi à loucura, Le Chang até agora não demonstrou grande força de batalha, pelo menos não ao nível dos maiores talentos, mas sua genialidade e o uso versátil dos Círculos Mágicos o transformou em alguém a ser temido.

Todos os poderosos cultivadores, no Dao da Purificação, Dao do Esclarecimento e Dao Lendário, conseguiam ver através de seus esquemas, como a montagem das Matrizes e algumas de suas artimanhas.

Alguns na multidão o vaiavam, mas as regras não baniam o uso de diferentes armas.

A ideia era reproduzir uma batalha real, mas controlada.

Sendo assim, em uma batalha de vida ou morte, era importante ser um poderoso cultivador e versado em dezenas de habilidades ou um gênio estrategista, mas no fim a força bruta era o determinante. Se um inimigo, muito mais fraco, tirasse um item que desafia os céus e que pode se opor a você, é culpa sua ser mais fraco que tal objeto.

Sendo assim, era permitido usar todo tipo de equipamento ao seu dispor e derrotar seus inimigos.

***********************************

As lutas progrediram sem mais nenhum evento fora do normal, por sorte, nenhum daqueles no 4º Grau do Dao da Alma haviam se enfrentado, então todos os favoritos passaram com facilidade.

“Muito bem! Sobraram vinte e cinco pessoas, sendo assim, será feito um sorteio de números!! Novamente formem uma fila!!” – Lin Feng.

Rapidamente todos pegaram suas novas numerações.

Le Chang era agora o número vinte e um.

Lin Kang pegou o número treze.

Quem pegou o número vinte e cinco, o qual ficaria uma rodada esperando, foi alguém no 4º Grau do Dao da Alma.

Sendo assim, após todos pegarem seus medalhões, cada um retornou para um local preparado para eles aguardarem seus chamados.

Era algo simples, uma fileira de círculos de pedra, mas com um círculo mágico sobre ele, tal matriz tinha a capacidade de absorver Qi atmosférico e ajudar os duelistas a recuperarem o seu Qi, perdido nas lutas anteriores.

Dessa vez, houve um intervalo de uma hora.

Le Chang ficou conversando com Min Jia através de seu Sentido Divino, pelos primeiros quarenta minutos e depois disso voltou sua atenção para recuperar seu Qi, ele não havia gasto muito, mas era sempre bom estar 100%.

**************************************

Ao final do rápido intervalo, os juízes iniciaram novamente os duelos.

“Número 14 e Número 18!! Subam ao Palco!” – Lin Feng.

.
.
.

“Número 17 e Número 5!! Subam ao Palco!” – Lin An.

E assim por diante.

Então só faltava um Duelo, apenas dois jovens não haviam trocado alguns golpes no Palco de Batalhas.

“Número 21 e Número 13!! Subam ao Palco!” – Lin Feng.

De um lado subia Lin Kang, seu olhar sério, mas determinado, causava arrepios.

Ele era conhecido por manter um rosto tranquilo e arrogante, como se nada na vida o preocupasse, ou fosse digno de sua atenção.

Todavia, alguém deixou uma marca tão profunda em sua mente, que se tornar sério era a única resposta.

Do outro lado, Le Chang flutuava no ar e tocava seus pés suavemente sobre o palco.

Seu olhar era calmo, com a superfície de um lago, era impossível ver algo através dele.

Ele vestia um manto marrom, extremamente simples, algo tão comum que mesmo os servos o possuíam.

Na visão de alguns jovens ricos ele era risível, algumas meninas o achavam idiota, todavia, os idosos e sábios o davam um polegar para cima.

Um jovem em tão tenra idade, com tamanha mentalidade, era realmente louvável.

Enquanto os jovens dessa idade corriam atrás de prazeres carnais, riquezas, sexo, poder e posses, Le Chang se mantinha firme em sua jornada. Focando sua mente em sua própria vida, cuidando de seus afazeres e trilhando um caminho firme.

Para que ele procuraria um pouco de prazer nas ruas e bordéis, se em sua casa haviam três lindas noivas. Dinheiro e posses? Ele poderia facilmente tirar uma Habilidade Marcial que causaria furor em todo o planeta, que faria os monstros no Dao Lendário babar, ele realmente precisava disso?

Poder? No momento ele poderia ser fraco, e na perspectiva de toda Existência, uma mera formiga, mas não demoraria muito, para cada passo, cada palavra, cada gesto de suas mãos ecoarem por todos os cantos da Existência.

Sendo assim, seu olhar calmo era um reflexo de sua profunda determinação, suas vestes refletiam não uma humildade exacerbada, mas um desapego as coisas de um mundo tão simplório como esse.

*****************************************

“Comecem!!” – Lin An.

Diferente dos duelos anteriores, ambos ficaram parados após o sinal dos juízes.

A multidão estava quieta, como se ao falarem perderiam algum acontecimento importante.

Lin Kang parecia meio apreensivo, mas seu coração de guerreiro banhado em sangue não seria tão acovardado assim.

Então, ele retirou seu Machado de Batalha, elevou seu cultivo ao Pico do 3º Grau do Dao da Alma e correu contra Le Chang, ele era como um rinoceronte ensandecido.

Quando estava a dez metros de Le Chang, Lin Kang saltou no ar e trouxe seu machado em um arco vertical em direção a cabeça de Le Chang.

Todavia, este último respondeu se movendo rapidamente para a esquerda, fazendo a arma de seu oponente ir de encontro ao solo.

O impacto causou um leve tremor em todo o Palco, mas não causou nada além de um pequeno arranhão nas pedras.

Le Chang aproveitou que o impacto reverberou pelos braços e tronco de seu inimigo, criando uma abertura de menos de centésimos de segundo, mas o suficiente para ele dar um contra-ataque.

Ele então usou seu pé direito como pivô para girar toda sua cintura e jogar seus braços em um movimento rotacional, criando assim uma grande velocidade angular, suficiente para jogar sua perna esquerda com uma velocidade explosiva em direção ao seu inimigo.

Entretanto, Lin Kang era um sábio lutador e rapidamente trouxe o cabo de seu machado para aparar o golpe.

Ele foi esperto e relaxou um pouco as pernas, aproveitando do impacto para ser jogado vinte metros no ar, mas o qual ele controlou facilmente e caiu suavemente no chão.

Então, assim que seus pés tocaram o chão, ele moveu seu Machado de Batalha a uma velocidade assombrosa, deixando somente pós imagens do movimento.

Enquanto movimentava o armamento, ele gritou.

“Habilidade Marcial: Armagedom do Machado de Fogo!” – Lin Kang.

De sua Arma Santificada, um imenso paredão de chamas saiu, como um tsunami engolindo tudo a sua frente.

Todavia, Le Chang rapidamente respondeu trazendo seu Bastão de Batalha, onde com um mover de sua mão, uma onda de Qi Água de igual força, apareceu.

O encontro dos golpes criou uma grande explosão e o aparecimento de uma pesada névoa.

Sendo assim, houve um murmúrio nas arquibancadas, por causa da névoa e barreira, feita por alguém no Dao da Alma, aqueles no Dao da Alma e abaixo, não conseguiam ver o desenrolar da batalha, afinal seus olhos não passavam pela espessa névoa de Qi e seus Sentidos Divinos eram impedidos pela barreira.

Todavia, o som do encontro de armas podia ser ouvido.

Os sons eram como se metais estivessem se destruindo mutuamente.

Também era visível a agitação da névoa, onde hora expandia e outra diminuía.